19 novembro, 2012

Um lado de antes, agora obsoleto.

Por vezes passei o dia subvertendo pensamentos, buscando em algum lugar limpo, um fio de cabelo que me lembre como era bom viver o outro lado. Nada encontro, á não ser ecos. 
Tantas lugares busquei, tantas colinas caminhei, confundindo frio com chuva e chuva com frio, abrandando o que vocês chamam de vida por um nome.
Errante descobri que cada qual tem um valor, significado e veracidade. 
Certa tarde ela ouviu em sua cabeça: "Difícil pensar que algo nele me lembrava o som claro de uma manha de novembro nascendo", e em seguida "algo nela soava como sussurros doces do vento no inverno", no fim algo dos dois personagens completavam o resto de um coração. 
Parte de um tudo ao mesmo tempo, eles faziam, de um tudo arcaico. Difícil pensar nesse mundo de antigamente, tão distante; esse mundo que pra cada um muda a cada por-do-sol. 
Anotei comigo que quem faz esforço pra lembrar, tem vontade é de esquecer. E em algum momento isso fluiu e se foi, dignamente não, mas; lento, denso, cheio de sabor e pesado demais pra ser carregado por um só, como sempre foi, tinha de ir. E agora respiro. 



6 comentários:

  1. TÁ DE PARABENS BJS DA PRINCESA

    ResponderExcluir
  2. Te conheço o suficiente pra saber o significado de cada palavra.
    Parabens amiga. Me orgulho muito de você !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amiga, todo esse amadurecimento não seria possível sem você. :)

      Excluir

Deixe o seu comentário, Elogie, dê dicas, critique, fique á vontade, toda ajuda é bem-vinda!