07 novembro, 2012

Expandir o oculto

Abrir a mente em um dia, pular de paraquedas e morrer no outro.
Sempre quando dizem para "abrirmos" as nossas mentes, levamos no sentido quase literal. 
Abrir a cabeça e enfiar com a ajuda de um bisturi uma ideia do "novo" dentro das entranhas. Algo torturante não? na teoria também é assim.
O pior de tentar agir desta maneira, é que doí tanto quanto se fizéssemos no sentido realmente literal. 
Abrir a mente não significa, pular de paraquedas, dar na cara do seu chefe, falar tudo que pensa pra todo mundo sem nenhum pudor, beijar trocentas pessoas em uma noite -ambos sexos- mesmo sabendo definitivamente qual a sua opção sexual, com o proposito somente de afirmar que você é "Cabeça aberta pra tudo". Errado na minha visão.
Saber ouvir opiniões contrarias as suas, tentar entender, aceitar, e tirar alguma coisa boa pra si é um bom começo para se ter uma mente aberta. Esqueça o que acha saber, e saberás mais do que acha capaz de entender. E se libertar também. 
Não precisa cometer nenhuma ação; diga-se de passagem, mal pensada pra se auto-afirmar.
Alias, fica a dica, quem não se auto-afirma demais tem possibilidades maiores de ser e entender muito mais que outras pessoas. Falando o bruto do oficio, o ditado condiz com ideia que quero passar ; "Quem se acha demais, sobra, e tudo que sobra vai pro lixo."
É necessário abrir a mente, expandir o invisível, abandonar a bussola dogmática, mais conhecida como "O que você acha ser o certo" pra chegar perto de uma mente saudavelmente ampla. 
Quem és tu pobre leitor, que tem o poder de medir o paradoxo que é a vida? Que peso tem suas ações? Bendito seja Sócrates, "Só sei que nada sei"!
Libertar as amarras da mente e conseguir pensar em determinados assuntos sem o preconceito habitual, esquecer um pouco a moral social imposta desde a infância e criar um universo paralelo a isso, é quase tão complicado como se tornar um total anarquista, eu entendo. Mais nada é impossível, um homem pode ser constituído por ideias, e ideias meus amigos, são a prova de balas. Uma vez destravada, a menta vai além do horizonte.
Tudo o que eu mais queria era viver em um mundo onde beijar uma garota ou um garoto não significasse ter um rotulo, ser contra a maioria não te tornasse minoria, fugir atras de um sonho que pra sua família pareça fugaz não te faça um "sem juízo";
Simplesmente onde eu não precisasse me tornar um mártir e escrever um texto pedindo um pouco mais de compreensão pra quem vive com a cabeça trancada. 

4 comentários:

Deixe o seu comentário, Elogie, dê dicas, critique, fique á vontade, toda ajuda é bem-vinda!