01 outubro, 2012

Viver é deixar viver.

A vontade do tudo.
De ter, de ser.
O amanha não pertence a mim, e o agora não pertence a ninguém. E o único desejo que tenho, é que esse tempo sem dono, passe. Eu não vou, mais o tempo vem. Passe não porque o presente é ruim, mas porque viver o futuro, -nem que seja daqui cinco minutos- é como matar a minha fome, absorver, entender, explorar, ganhar. Me sinto mais próxima. Do quê? não sei.
Deixe-me isolada e morrerei de inanição.
Viver qualquer coisa, viver a textura das paginas de um livro, viver o som do riso das amigas, viver a sensação da noite bem dormida, do abraço sincero, viver o ar entrando nos pulmões, viver o gosto do rock in roll na minha boca, viver esse perfume de café tomando a minha alma, viver meu sorriso preferido. Viver qualquer coisa. Viver a personalidade rompendo os olhos no mais inesperado momento. O vermelho tingir os pensamentos, quando somente quero aproveitar o momento, sem depois pra pensar. Viver qualquer coisa.
Procurando o inacabado, vivendo rascunhos, guardando textos perfeitos para quem não sabe ler. Sempre indo e vindo, seguindo o fluxo do eterno, que é mastigar sentimentos. Perdendo mais do que devo ganhar, porém, vendo mais do que os outros podem ver, é como tudo é.
Se eu fico é porquê quero, se eu vou é porquê devo. Ninguém tem manual de instruções, e se por acaso alguém pudesse ter, ninguém saberia ler o seu, o meu, o nosso. Se conhecer é como aprender uma linguá estrangeira sem ajuda nenhuma.
É como um bicho solto, louco, sem destino, ou hora de partida, vivendo atras das tuas orelhas, sussurrando coisas que te assustam, mais que no fim você já conhece, pois isso é apenas você.
Há quem busca viver aos picos, o máximo da palavra VIVER, viver a grandeza, a loucura, a insanidade. Há quem diga que estes não sabem de nada. Quem está certo? não pergunte pra mim.
Viver aos mínimos, viver coisas pequenas, -"Quem me dera ao menos uma vez, que o simples fosse visto como o mais importante"- como admirar a simetria da rua que você mora, ou o timbre da voz da sua mãe, poder uma vez na vida sentir o halito nobre de um bebe recém-nascido. Viver qualquer coisa.
Viver e poder parar pra ver como você está sentado agora..parar pra se olhar no espelho, olhar o que você era, o que é, o que você vai ser. Parar. P A R A R. Pare, pare com tudo, respire, sinta o oco, e viva o silencio.
E só sei que vivo. Vivo, ou tento, tudo o que há pra viver.



2 comentários:

  1. Sensacional!!! Muito Bom!!! Gostei!!!

    ResponderExcluir
  2. Tive que compartilhar FB, me desculpe se é seu o link está lá, muita gente vai me identificar nestas palavras, parabéns!
    (huga - Santos)

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário, Elogie, dê dicas, critique, fique á vontade, toda ajuda é bem-vinda!