29 outubro, 2012

Calçando as Sandálias

Poucas coisas me estimulam a escrever. Percebo que devo buscar minhas sandálias assim como a escrita.
Como já disse a preguiça é um estar em mim. Mais elas estão tão longes as benditas sandálias.
E muitas vezes tenho verdadeira desvontade de explicar o que em um bocado de palavras muitos não entenderam uma só linha. Sim, duvido da capacidade de muita gente. Onde será que as minhas sandálias estão? será que alguém sabe onde esta? Será que alguém vai encontra-la na bagunça de minhas palavras?
Distorcem e tornam como objetos pra si próprio a ideia que quis passar, mesmo isso por vezes sendo o proposito, mais não da forma correta, a forma que faz bem. Acho que as minhas sandálias desaparecidas devem ser doadas a alguém, a um menino talvez, e compartilho sem medo as tais. Tornam o que era livremente fluido, em algo que se encaixa em seus parâmetros de vida, para lhe favorecer. Errado. O pódio de chegada é o entendimento do que se deve fazer para se fazer aprender, não tomar como vantagem entre outros e se favorecer como pessoa! Lhe dou as sandálias para caminhar, não o mapa pro teu lar guri. Talvez seja ciumes de minhas ideias, da minha sandália..Soa contraditório não é? mesquinho até? Alguém que se expõe e tem ciumes do que expõe?! Dogmático demais pro meu gosto.
Isso é ser humana, cheia de defeitos. Não se esqueça que sou quase de carne e osso como você ai sentado.
Por isso o tal bloqueio de criatividade aparece dez vez em quando. Em pouco tempo percebi isso...E aceitei, afinal se eu não aceitasse a mim mesma, quem eu seria?
Descubro sozinha que sandálias devem ser doadas, e ao mesmo tempo não deixarem de fazer parte de mim. No fim, á sempre pares novos a serem calçados.

Escrevo o que sinto e talvez o que sou, por isso escrever sobre coisas fúteis que me perturbam é o caminho para algo melhor do que o agora é pra mim. 


Alivio é sentir meus pés abraçados por uma sandália qualquer.




27 outubro, 2012

Ponte e Abismo

Frustrações e seu sabor paralisante. Devemos reverter a paralisia ou se entregar. Não há meio termo.
Porque há tanta frustração no mundo? e porquê diabos incessantemente insistimos em culpar alguém desse ferrão maldito?
Errado quem pensa que só os filhos da puta merecem tal amargura. Maybe.
Humano que é demasiado humano tem que passar por essa coisa, essa ponte velha e enferrujada que te ameaça cair no abismo a cada passo sucedido da mesma. É preciso enfrentar este caminho errante deixando pra trás a velha ponte triste, tentando superar o medo de pisar em falso novamente, se perder. Ou isso, ou não viver. Difícil mas não impossível.
A frustração faz parte do ciclo de vida da maioria dos sonhadores, idealista ou qualquer porra de pessoa que pense demais no que é, no que foi e no que será desse mato-sem-cachorro e incrivelmente divertido por vezes, chamado VIDA.
Uma xícara á mais de simplicidade em viver, e verá que a incógnita vulgo felicidade se multiplicará momentaneamente. Quando alguém achar o ingrediente "simplicidade" me avisem por favor. Talvez isso seja um dom de pessoa para pessoa, e não um ingrediente. Temo não ter esta dadiva, como muitos.
Tão certo quanto o fim do mundo, você vai acabar tropeçando na ponte velha selada por um abismo imenso.
Pessimista não? não. É Só um aviso, pois a maioria do mundo, generalizando, não sabe lidar com essa situação. Nem quem vós escreve. Outra receita inexistente.
Acontece que nada nem ninguém vai ser exatamente do jeito que as profundezas do seu cérebro sonha.
Mania ruim que todo mundo tem de achar que os outros podem ver, ser e ter a mesma percepção de um tudo igual a você. Isso é uma das estradas para chegar a minha velha conhecida ponte ou frustração, chame do que quiser.
Cuspir a verdade de forma assustadora aos outros é a tarefa mais difícil que pode existir para "fugir" da frustração, como eu já disse é impossível evitar esse deleite, DEVE acontecer, não com tanta frequência  pois de uma certa forma algumas coisas podem ser banidas de ocorrerem, enfim é natural saudável e por hora ensina...Além do mais, como fazer as pessoas enxergarem o mesmo que você? Outra impossibilidade. Tem-si o dever de ver só, o que é obviou para alguns.
Frustração é uma porta sem chave de abertura ou fechadura. Talvez o tempo seja o cadeado disso tudo. Talvez só mais frustrações possibilitem que essa porta se mova negativamente ou positivamente.
A unica coisa que me arrisco a dizer, é que a realidade crua e nua dos realistas, pode ser um par de asas pra voar sob a velha ponte e o cruel abismo.
Pena que minuto após minuto se desaprende a aterrissar.






18 outubro, 2012

Musica é vida

Na minha concepção muitas coisas que gostaríamos de dizer são passadas através de alguns trejeitos, ou hábitos. A musica é um porta voz de uma forma abrangente pra isso e pra muita coisa.
Na musica, versos ligeiros são capazes de transcender um milhão e meio de sentimentos.
A capacidade de parafrasear com sentimentos invisíveis e unificar tudo isso em uma melodia, é uma dadiva ganhada pelos deuses mais lindos.
O humano é verdadeiramente covarde e sempre vai usar uma válvula de escape pra demonstrar aquilo que os olhos leigos não sabem ver. Por vezes a sua necessidade natural de se expressar de quaisquer forma, não supera a covardia e o medo da represaria em relação ao que sente e pensa. Por isso a musica, cada qual entende a musica e a arte da forma que quer, dizendo aquilo que deseja sem dizer realmente. Esquecendo que as vezes que o que o "alguém" quer mostrar, não vai ser exatamente o que o "outro" vai ver, ou entender. Mas mesmo assim fazendo, vivenciando a musica.
Paradoxo.
Eu sempre cometo este pecado, esperar que os outros vejam da mesma forma que eu. Isso me torna dogmática as vezes. Até nas musicas.
O importante é que a musica entende aquilo que não falamos ou não temos coragem de falar, ou pensamos ocultar o real sentido na letra de uma melodia qualquer.
Por horas simplesmente gostamos da musica, do som e batida, ignorando um pouco isso de "toda musica tem uma mensagem especial para tal". Isso pode ser melhor que nostalgia.
Musica sintoniza a inconsciência do ser com a realidade dos acordes, pode acalmar ou provocar um terremoto dentro de um ser.
Pode ser a cura, ou o golpe de misericórdia.
Pode ser você e as suas palavras atrofiadas.
Pode ser o que você precisa ou é.
Pode um tudo.
                                     








08 outubro, 2012

Oração ao tempo


(...) Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo... (...)

Caetano Veloso.

05 outubro, 2012

O Nirvana


Talvez seja a minha banda favorita, minha, e de mais uns milhões. Talvez eu só escute demais. Não conheci sozinha, mais sou grata a quem me apresentou, umas das melhores coisas que já fizeram por mim.
Pra falar de Nirvana, primeiro temos que saber o significado do nome.
Começo a gostar de Nirvana, desde a escolha do nome. De acordo com a concepção budista, o Nirvana seria uma superação do apego aos sentidos, do material e da ignorância; tanto como a superação da existência, a pureza e a transgressão do físico. O "estado nirvana", é como conseguir atingir uma pureza em esprito, de calma, libertar, se ir além do que se vê, dá forma física.
Lindo não?
Certa vez Cobain citou:  "Eu queria um nome que fosse uma espécie de bonito ou agradável e bonito em vez de um nome punk rock mesquinho, obsceno como Angry Samoans."
A banda foi fundada por Kurt Cobain e Krist Novoselic em 1987. Com o tempo eles acabaram popularizando um subgênero do rock alternativo, o Grunge. Grunge pra quem não sabe, caracteriza-se por bandas que elevam nas doses de sarcasmo e angustia, tratam de assuntos delicados, das vontades, liberdade, alienação social, o confinamento do ser humano em si. Geralmente negam-se a fazer toda aquela aparição de rock star. Muita gente não entende esse estilo, e por não entender, acha que não gosta.
Depois de "Smells like teen Spirit" o Nirvana explodiu, de desconhecida passou a ser a principal banda da Geração X, tornou-se porta voz de uma geração que crescia rapidamente pós a segunda guerra mundial, jovens que dia-após-dia, respeitavam menos os pais, viviam o medo do futuro incerto, não tinham muita fé em deus, jovens que não achavam errado transar antes do casamento ou odiar a Rainha Elizabeth ll. 
Tudo isso soou errado para Kurt, não era essa a mensagem que ele queria passar. Ele parecia odiar realmente toda a atenção que recebeu, quando lhe deram este rotulo. Logo veio o álbum "In Utero", mudando pra alguns a percepção da banda. 
O jeito que o Nirvana toca é o que mais me encanta. O contraste incrível que uma unica musica pode ter, perdida em meio á versos calmos e simples, intercalando com uma grande barulheira, e um refrão extremamente pesado. É um padrão frenético. As letras completam algo que parece não poder ficar melhor. 
Na minha playlist pessoal, facilmente você encontrará, The man who sold the world, All apologies , About a girl, In bloom, My girl, Polly, Lithium, Something in the way, Rape me, Come as you are, e com toda certeza Smells like teen Spirit. Minhas prediletas. Recomendo.
Impossível falar de Nirvana e não pensar em porquê diabos Kurt teria que tirar a própria vida. 
Será que ele não tinha ciência do que a morte dele era? O Vicio em heroína junto com a depressão acabaram com o gênio? A imagem publica era muita pressão para o desde sempre atordoado Kurt? O casamento com C. Love o destruiu?
Não sei, um mistério.


 A unica coisa que surge em minha mente é que ele realmente não sabia lidar com a própria vida, a sua arte. 
Ou talvez ele tenha ido além demais de si mesmo, pra voltar atras. 
Mais isso é só com ele. Não o tenho como um egoísta, do tipo "Ele nos privou de toda a sua arte", porque afinal a vida era dele. Pelo contrario, fico feliz dele ter deixado um legado tão magnifico pra tanta gente. 
No final de que adiantaria poder ver um show ao vivo de Kurt, em cima da infelicidade do cara? Melhor ele morto e feliz por ter feito o quis da própria vida. 
Só Lamento, talvez as coisas pudessem ser diferentes. Não sei mesmo.

Pra quem realmente sente, o Nirvana nunca deixou de existir. 





Com vocês, The man who sold the world  






04 outubro, 2012

Sonho nosso de cada dia.

Cada pessoa tem um sonho. Cada um com as suas características, envolvendo pessoas, ou metas, regendo a vida, cada um com a sua cor, tingido do mais profundo desejo que alguém pode ter.
Uns acham que tem sonhos comuns, outros acreditam ter sonhos quase irrealizáveis.
Odeio este papinho, "Quem acredita sempre alcança", Renato que me perdoe.
Acreditar não basta, acreditar não é o suficiente para o seu sonho se realizar. Dá nojo ver o comodismo de certas pessoas, colocando toda a fé do mundo nos seus sonhos, mais sem mover um milimetro para estar mais perto do paraíso que é ter um sonho realizado. Esqueça, sua fé não vai mover montanhas. Balela, bobeira. As montanhas vão continuar lá, perfeitas, imoveis, então é melhor você se apresar se quiser atravessa-las.
Não levem tudo a risca, é necessário sim acreditar, botar fé. Não seja incrédulo, mais saiba medir a sua realidade. Não se deve jogar toda a responsabilidade das tuas realizações em algo impalpável.
Olhe para a palma da sua mão, atenção, isso que você está vendo, isso sim realiza sonhos. Você.
Aprenda que se seu sonho vale a pena, seja ele qual for, trabalhe, lute, tome atitudes, fale, defenda, sacrifique coisas e momentos por ele, vai ser recompensador.
Tudo que vem fácil, vai fácil. Por isso se quer ser uma pessoa realizada, espere dificuldades.
Inúmeras coisas, que por vezes já possuímos e não damos valor no momento, podem se tornar sonhos futuros. Acho que esse é o pior tipo de sonho que pode existir. Voltar a realizar algo que você já viveu. Pra mim, soa quase impossível. Desculpe o desencorajamento, mais a realidade é que as sensações de cada momento da sua vida são diferentes e quase nunca se repetem. São mutantes. Mudam pra melhor ou pra pior. Mudam como a gente. O erro do ser humano é não aceitar a mudança, não aceitar o inevitável.
Sonhos de amor, matérias, sonhos simples, sonhos grandiosos, sonhos de criança, sonhos doces e amargos, sonhos sem nexo. Em mim cabem todos os sonhos do mundo.
Muita gente acredita que é na velhice que se descobre todos os sonhos realizados ou não.
Discordo. Acho que a melhor parte de sonhar, é o processo que corremos para realiza-lo ou não. O gostinho de vitoria na boca, de estar perto, o cheiro de estar satisfeito. Melhor coisa não há.
A gente descobre a realização, enquanto ainda vivemos o sonho. Só de caminhar pra isso, já vale.
E quando chegamos então, nossa, é esplendido. Até não ser mais suficiente, e você mudar o destino da sua caminhada de novo, pra mais longe talvez.
E assim vai e vai, indo sempre sem pódio de chegada.
Falta entender que alguns sonhos foram feitos pra nunca serem realizados, pra ficar na mente somente, por mais arduamente que possamos desejar aquilo, lute e trabalhe por isso. Muitos param de sonhar por toparem com estes tipos de sonhos. Ai está o erro. Sonhos são o combustível da alma. Sem eles, não há pelo o que viver.
Outros sonhos parecem tão simples, - que maktub; "já estava escrito" -, tanto que soam como apenas sonhos. Tem que se beliscar pra saber se é verdade, se conseguiu realmente atingir aquilo. Tão real e fora da realidade ao mesmo tempo. Sorte dos que vivem isso.
Se fosse possível desejaria só o realizável. Mais se não fosse da forma que é, não teria graça.

Sonhar pra mim, é tornar tudo que parece impossível no momento, em perfeita realidade futura e com um dedinho de sorte, bem próxima.


Carpe diem.


01 outubro, 2012

Dente-de-leão

O dente de leão está relacionado aos sonhadores. As pequenas partes da alma.
Pois, assim como os sonhos, ele se dispersa sem rumo a todos os cantos, toda vez que o vento ou nós mesmos nos esforçamos em despedaça-lo.
E como um milagre, nasce justamente de sua enorme fragilidade, é capaz de se multiplicar e crescer forte onde lhe for permitido ficar.
Do contrário, mais uma vez se despedaça e, novamente, torna a se multiplicar.
Nossa alma é como eles.
Meliflua. É cheia de ligações complexas e vontade de ir longe.
Voa sem ter asas. Nunca são iguais, e facilmente se perdem de tudo.
Em mim, assim como no dente de leão, tantos uns, tantos todos e tantos outros, todos juntos ao mesmo instante







Viver é deixar viver.

A vontade do tudo.
De ter, de ser.
O amanha não pertence a mim, e o agora não pertence a ninguém. E o único desejo que tenho, é que esse tempo sem dono, passe. Eu não vou, mais o tempo vem. Passe não porque o presente é ruim, mas porque viver o futuro, -nem que seja daqui cinco minutos- é como matar a minha fome, absorver, entender, explorar, ganhar. Me sinto mais próxima. Do quê? não sei.
Deixe-me isolada e morrerei de inanição.
Viver qualquer coisa, viver a textura das paginas de um livro, viver o som do riso das amigas, viver a sensação da noite bem dormida, do abraço sincero, viver o ar entrando nos pulmões, viver o gosto do rock in roll na minha boca, viver esse perfume de café tomando a minha alma, viver meu sorriso preferido. Viver qualquer coisa. Viver a personalidade rompendo os olhos no mais inesperado momento. O vermelho tingir os pensamentos, quando somente quero aproveitar o momento, sem depois pra pensar. Viver qualquer coisa.
Procurando o inacabado, vivendo rascunhos, guardando textos perfeitos para quem não sabe ler. Sempre indo e vindo, seguindo o fluxo do eterno, que é mastigar sentimentos. Perdendo mais do que devo ganhar, porém, vendo mais do que os outros podem ver, é como tudo é.
Se eu fico é porquê quero, se eu vou é porquê devo. Ninguém tem manual de instruções, e se por acaso alguém pudesse ter, ninguém saberia ler o seu, o meu, o nosso. Se conhecer é como aprender uma linguá estrangeira sem ajuda nenhuma.
É como um bicho solto, louco, sem destino, ou hora de partida, vivendo atras das tuas orelhas, sussurrando coisas que te assustam, mais que no fim você já conhece, pois isso é apenas você.
Há quem busca viver aos picos, o máximo da palavra VIVER, viver a grandeza, a loucura, a insanidade. Há quem diga que estes não sabem de nada. Quem está certo? não pergunte pra mim.
Viver aos mínimos, viver coisas pequenas, -"Quem me dera ao menos uma vez, que o simples fosse visto como o mais importante"- como admirar a simetria da rua que você mora, ou o timbre da voz da sua mãe, poder uma vez na vida sentir o halito nobre de um bebe recém-nascido. Viver qualquer coisa.
Viver e poder parar pra ver como você está sentado agora..parar pra se olhar no espelho, olhar o que você era, o que é, o que você vai ser. Parar. P A R A R. Pare, pare com tudo, respire, sinta o oco, e viva o silencio.
E só sei que vivo. Vivo, ou tento, tudo o que há pra viver.